FORUM DO CERRADO LANÇA PRÊMIO DE POPULARIZAÇÃO DA CIÊNCIA e MANIFESTO EM DEFESA DA PESQUISA NO INTERIOR

O 6º Fórum de Ciência e Tecnologia do Cerrado, evento da Sociedade Brasileira Para o Progresso da Ciência/Regional Goiás, realizado com o apoio da Fapego, foi encerrado nesta quarta-feira, 4 de dezembro de 2013, com o lançamento da  1ª edição  do Prêmio SBPC/GO de Popularização da Ciência (veja abaixo), cujas inscrições  já  estão abertas até o final de fevereiro de 2014. O evento também foi marcado pelo lançamento do Manifesto do 6º Fórum de Ciência e Tecnologia do Cerrado (veja abaixo), em defesa dos Pesquisadores do interior do estado, e contou com a importante participação da Secretária Nacional da SBPC, Professora  Edna Maria Ramos de Castro, na mesa sobre a A Criação das FAPs Municipais. Ao final de sua participação, a Professora parabenizou Regional Goiás da instituição científica por pautar a municipalização da ciência, segundo ela uma discussão que deve avançar pelo país.

 

Fundo para Anápolis/GO

 

Uma surpresa positiva marcou o debate sobre a A Criação das FAPs Municipais na opinião do Secretário Regional da SBPC/Goiás, Professor Reginaldo Nassar. Na ocasião, a Professora Dra. Maria Zaira Turchi, Presidente da Fapeg sugeriu a criação de um fundo municipal de curto prazo para a cidade de Anápolis em que a Fapeg entraria com uma contrapartida. Segundo ela, seria um exemplo, para os outros municípios de como iniciar o sistema de C&T já que a cidade de Anápolis já conta com uma Secretária Municipal de Ciência e Tecnologia bem estruturada. Seria também o início do processo para no futuro culminar nas Fap’s municipais.  O Secretário Municipal de Ciência e Tecnologia de Anápolis, Dr. Fabrizio de Almeida Ribeiro, aceitou a proposta naturalmente e relatou todos os projetos que estão sendo desenvolvidos na cidade como o Ciência Móvel, Planetário Digital, Cidade Digital, Casa Brasil Centro de Referência e Tecnologia Digital, entre outros, o que impressionou a plateia.

 

Investimentos em Pesquisa, Educação e Bolsas

 

A Mesa Redonda sobre Investimentos em Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil no segundo dia (4 de dezembro)  reuniu a Professora Milca Severino Pereira,  Pró-Reitora de Pesquisa e Pós-Graduação da PUC-Goiás, o Professor João Teodoro, da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da UFG, e o Professor Romão da Cunha Nunes, Secretário Adjunto da SBPC/GO.

 

O destaque do dia ficou por conta da fala do Professor Romão que lembrou que 98% das pesquisas ainda são feitas no mundo desenvolvido e apenas 2% na América Latina.  Por isso mesmo ele demonstrou e causou indignação quando informou sobre a diminuição do número de bolsas de mestrado e doutorado para o próximo ano e sobre o fim do Fundo Setorial do Petróleo, o que reduz drasticamente as verbas para o financiamento da pesquisa no País.

 

O Professor João Teodoro narrou às experiências e os investimentos da PRPPG-UFG. A professora Milca, por sua vez, mostrou que o Brasil pesquisa 1.545% menos que os EUA e aplica no setor apenas 1,1% do PIB. Segundo ela, as nações que avançaram ao longo da história deram atenção especial às pessoas e à educação, tema que permeou praticamente todas as discussões do Fórum de C,T&I do Cerrado, desde o primeiro dia.  Reitora da UFG por duas vezes, que agora responde pelo desafio de ampliar a  pesquisa e a pós-graduação da PUC-GO, a Professora Milca observou que a luta da SBPC Goiás por financiamento e por mais bolsas científicas é correta e justa. Ela parabenizou a entidade pela iniciativa.

 

O debate que seguiu contou com a participação da Professora Raquel Teixeira, Presidente do Instituto Jaime Câmara, e foi centrado na importância da luta pela qualidade da educação básica no Brasil evidenciada, mais uma vez, pelos recentes índices do PISA, em que o Brasil aparece com baixo desempenho. Raquel também sugeriu que a SBPC/GO crie um núcleo de Educação e se ofereceu para participar. Convidada, ela aceitou integrar a comissão de organização do Prêmio SBPC/GO de Popularização da Ciência na área de letras.

 

Prêmio SBPC/GO de Popularização da Ciência

 

O certame foi apresentado pelo Secretário Regional da instituição, Professor Reginaldo Nassar, pela idealizadora e integrante da comissão organizadora, Professora Nusa de Almeida Silveira (ICB/UFG) e pelo consultor da SBPC/ GO, Edson Quaresma.

 

Foi concebido como forma de promover a popularização da ciência e do conhecimento e diminuir a distância entre a produção dos saberes científicos e a população do nosso estado.

 

O prêmio será concedido como reconhecimento e estímulo aos estudantes de graduação e pós-graduação, podendo ainda concorrer os concluintes dos cursos no período de até um ano após a conclusão.

 

De acordo com o Professor Reginaldo Nassar, os quatro melhores trabalhos das seis áreas de conhecimento terão seus trabalhos publicados em um livro ao final do concurso e ao melhor trabalho de cada uma das seis áreas de conhecimento também será concedido um “tablet”.

 

Com o Prêmio, a SBPC Goiás pretende atingir um público-alvo formado por professores e alunos do ensino médio do nosso estado, com temas de seu interesse, em uma linguagem mais criativa e acessível.

 

As informações sobre inscrições e o regulamento podem ser obtidas na aba: Prêmio 2014 neste site

 

Manifesto do 6º Fórum de C, T&I do Cerrado

Ao

- Governo do Estado de Goiás.

- Secretaria de Ciência e Tecnologia do Estado de Goiás

- Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás

- Prefeituras Municipais do Estado de Goiás

- Vereadores Municipais de Goiás

- Deputados Estaduais de Goiás

- Profissionais da Ciência, Tecnologia e Inovação em Goiás

 

A Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência Regional Goiás deste Manifesto do 6º Fórum de C,T & I do Cerrado, durante o 6º Fórum de C, T &I do Cerrado, realizado nos dias 3 e 4 de dezembro de 2013  em Goiânia,  com o tema Consolidar, Ampliar e Integrar as Políticas de Ciência, Tecnologia & Inovação em Goiás, concluíram que:

 

1 - Há grande necessidade de apoio aos pesquisadores em atividade no interior do estado de Goiás e aos estudantes de pós-graduação e graduação;

 

2 - Há importante demanda para bolsas iniciação científica, bolsas de mestrado e bolsas de doutorado para os estudantes do interior do estado de Goiás;

 

3 - Há urgência na criação de Secretarias de Ciência e Tecnologia, com dotação orçamentária, na capital e demais municípios do Estado de Goiás;

 

4 - Há um atraso imperdoável para a consolidação dos programas de pós-graduação existentes e  para o incentivo à criação de novos programas nos municípios do interior;

 

Para a SBPC/Goiás e demais signatários a demanda proveniente das diversas regiões do Estado torna urgente a criação das Fundações de Amparo às Pesquisas Municipais (FAPMs), ou de mecanismos de financiamento Municipais de Ciência e Tecnologia nas Prefeituras Municipais.

 

Para a viabilização desse sistema municipal, o apoio e a parceria da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás – FAPEG é de substancial importância. O valor desse trabalho conjunto residiria no fato de se resolver problemas locais, fixar mais pesquisadores no interior e possibilitar a criação de programas de pós-graduação voltados para a problemática local.

 

A comunidade científica atuante em instituições de ensino e pesquisa localizadas no interior de Goiás tem pressa na implantação de programas de pós-graduação e/ou consolidação daqueles já existentes nos municípios. Contudo, espera que Município e Estado sejam parceiros nas decisões tomadas.

 

Acreditamos que estas ações podem se constituir em estratégia eficiente e  podem se transformar na mola propulsora do desenvolvimento científico, econômico e social de nosso Estado.

 

 

(Fonte: Assessoria de Imprensa da SBPC/GO - Teresa Costa)

Apoios: