A ideia de popularização da ciência ganha força no Brasil com a educação popular, os movimentos sociais populares e a concepção de educação transformadora de Paulo Freire. Neste sentido, o termo popularização significa além do que difundir algo ao povo. É no diálogo, possibilidade do contato entre o saber sistematizado e a experiência das pessoas, que se constroem perguntas e motivações, para a busca do conhecimento, da educação e da humanização do ser humano.

 

Para José Reis (2002), um dos pioneiros do trabalho de popularização da ciência no Brasil, a divulgação da ciência implica não apenas em contar ao público os conhecimentos interessantes e revolucionários que a pesquisa desvenda, mas é também veicular de forma simples os princípios e métodos da ciência de forma a deixar explícitos os impactos sociais e seus reflexos, bem como o exame de suas implicações éticas. Entender ou compreender o porquê dos fatos para além das crenças e saberes do senso comum, até um conhecimento mais metódico, rigoroso e sistemático, resultando não somente em uma visão mais profunda, mas, sobretudo mais crítica não pode ser privilégio de alguns.

 

SOCIALIZAR é um projeto de extensão da Universidade Federal de Goiás em parceria com a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência - Regional Goiás (SBPC/GO), a Sociedade Cultura Cidade e Arte e escolas públicas municipais e estaduais de Goiânia.

 

O projeto tem objetivo de democratizar nas escolas públicas de ensino Municipal e Estadual de Goiânia o acesso ao conhecimento produzido em universidades goianas. Esta ação busca promover a divulgação dos vinte e quatro trabalhos acadêmicos (artigos, monografias, dissertações e teses), de diversas áreas do conhecimento selecionadas pelo Prêmio de Popularização da Ciência da Sociedade Brasileira para o progresso da Ciência, Regional Goiás (SBPC/GO).

 

A coordenação do projeto SOCIALIZAR é da Professora da Universidade Federal de Goiás, Rosália Santos Amorim Jesuino. Doutora em Biologia Molecular pela Universidade de Brasília (2002). Mestre em Biologia pela Universidade Federal de Goiás (1995) e graduada em Ciências Biomédicas pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás (1989). Atualmente é professora associada da UFG, Instituto de Ciências Biológicas (ICB), Departamento de Bioquímica e Biologia Molecular

Apoios: